Artigos

01/04/2021

Planejamento previdenciário: o que você precisa saber antes de iniciar um

A maioria dos jovens ao ingressarem no mercado de trabalho pensam em se aposentar um dia. No entanto, deixam de planejar de que forma chegar lá, bem como, traçar objetivos claros de curto, médio ou longo prazo.

Da mesma forma, os profissionais em atividade dependendo do estágio em que se encontram, precisam fazer planos para acessar os benefícios de aposentadoria.

Principalmente após a reforma da previdência social, a qual entrou em vigor em novembro de 2019, associada a crise econômica imposta pela pandemia do COVID19, tornou-se imperativo fazer um planejamento previdenciário para estruturar a vida profissional e realizar as contribuições para uma aposentadoria futura.

É um assunto de extrema importância para todos os trabalhadores segurados do INSS ou de regimes próprios previdenciários, como no caso dos servidores públicos e que precisa ser melhor explicado.

Confira abaixo.

 

O QUE SE ENTENDE COMO PLANEJAMENTO PREVIDENCIÁRIO?

Conforme citamos acima, o planejamento previdenciário serve tanto para os profissionais que estão iniciando no mercado de trabalho, como para aqueles que estão prestes a se aposentar.

Diante disso, o planejamento previdenciário consiste em uma ferramenta de análise capaz de identificar para cada tipo de segurado, os direitos adquiridos e aqueles aos quais faz jus dentro da sua atividade laboral e traçar um conjunto de objetivo a serem realizados em cada etapa da vida.

O planejamento previdenciário leva em conta também, a idade do trabalhador, o tempo de contribuição para o INSS ou para um determinado regime próprio, como por exemplo servidores públicos ou militares e os valores vertidos a título de contribuição, os quais farão parte da composição do benefício.

 

QUAIS AS VANTAGENS DE REALIZAR UM PLANEJAMENTO DESSES?

O planejamento previdenciário traz várias vantagens para os segurados que pretendem se aposentar, seja pelo regime geral ou pelo regime próprio previdenciário.

Aplica-se, inclusive, não só para os profissionais que estão ingressando no mercado de trabalho, como aqueles que estão muito próximos de requerer o benefício de aposentadoria.

Tal ferramenta pode também:

  1.   Traçar objetivos para curto, médio e longo prazo para a vida profissional;
  2.   Gestão de gastos para realizar eventuais reservas financeiras;
  3.   Previne contra erros que possam dificultar o acesso a aposentadoria;
  4.   Traz orientações quando da necessidade de se participar de um plano de previdência privada;
  5.   Elabora um plano de contribuições para profissionais autônomos;
  6.   Avaliação dos direitos adquiridos para trabalhadores segurados que já estão prestes a se aposentar;
  7.   Análise, cálculo e proposição pelo melhor benefício de aposentadoria;
  8.   Possibilidades de aproveitamento de tempo em atividade rural ou homologação de tempo em atividade do regime geral para o regime próprio dos servidores públicos;
  9.   Análise quanto ao acesso a formas de aposentadoria mais rápidas;
  10. Evita prejuízos financeiros com recolhimentos desnecessários;
  11. Reorganiza toda a documentação necessária para obter o benefício evitando surpresas;
  12. Evidencia o momento ideal para se aposentar, além de poder traçar objetivos pós aposentadoria.

 

O QUE É AVALIADO NESSE PROCEDIMENTO?

No planejamento previdenciário, aplica-se a cada tipo de segurado uma análise do seu histórico laboral e contributivo, necessário para fazer a análise e diagnóstico.

Com isso, utiliza-se diversas variáveis, bem como:

  1. Levantamento de vínculos trabalhistas realizados em condições especiais passíveis de aposentadoria especial;
  2. Avalia-se a idade do trabalhador e a partir de qual momento ingressou no mercado de trabalho;
  3. O tempo de exercício laboral sob a qualidade de segurado;
  4. Os valores e as médias de contribuição efetuadas para administração previdenciária durante a vida profissional;
  5. A lista com todas as atividades exercidas ao longo da carreira para extrair elementos que melhorem o benefício ou reduzam o tempo;
  6. Se existe possibilidades de enquadramento de alguma atividade nas modalidades especiais;
  7. Análise de qual regime previdenciário seria mais adequado a cada trabalhador.

Com a avaliação dos itens acima é possível traçar objetivos e ajustar a forma de contribuição para melhor benefício de aposentadoria.

Por fim, o planejamento previdenciário poderá evitar problemas futuros, principalmente quanto a documentação comprobatória para acesso ao benefício, a qual já estaria sendo revisada durante o planejamento.

Ficou com dúvidas sobre esse assunto? Nossa equipe conta com advogados altamente qualificados para lhe ajudar, será um prazer em orientá-lo!

Voltar

Gostou do nosso conteúdo?
Registre-se para receber mais.

Compartilhe
Desenvolvido por In Company